gestação e alimentação

Gestação e Alimentação

Gestação e Alimentação

Gestação não é a época para fazer dietas e nem perder peso, mas não significa comer em excesso.

A gestação é um período muito especial e particular na vida de uma mulher. Para nos auxiliar sobre as necessidades nutricionais das gestantes convidamos aqui o Dr. Marcelo Arantes.
A gestação não é época para fazer dietas restritivas e nem pensar em perder peso, mas também não significa comer em excesso ou “comer por dois”.
A perda ou o excesso de peso nessa fase pode trazer prejuízos tanto para a saúde da criança quanto da mãe.  Confira os principais nutrientes a serem consumidos em todas as fases da gestação.

  •  Primeiro trimestre: Ácido fólico (ou vitamina B9). Sua ingestão previne defeitos na formação do tubo neural do feto (estrutura que dará origem ao cérebro e à medula espinhal).
  • Segundo trimestre: Vitamina C – ela age na formação do colágeno, que compõe pele, vasos sanguíneos, ossos e cartilagem. Magnésio – o mineral favorece a formação e o crescimento dos tecidos do corpo. Vitamina B6 – importante para o crescimento e o ganho de peso do feto. Também auxilia na prevenção da depressão pós-parto. Ferro – é essencial na produção de hemoglobina, proteína responsável pelo transporte de oxigênio pelo sangue.
  •  Terceiro trimestre: Cálcio – por conta de seu papel na formação óssea do bebê, o mineral é nutriente obrigatório na dieta da futura mãe, além de auxiliar a produção de leite após o parto. Uma dica: evite consumir fontes de ferro e cálcio juntas, como carne e leite, pois um nutriente atrapalha a absorção do outro.

Caso tenha alguma dúvida consulte o seu médico.

Será o suco de frutas o novo vilão das dietas?

A Polêmica do Suco de Frutas

Suco de frutas: novo vilão das dietas?

Será o suco de frutas o novo vilão da alimentação saudável? O Dr. Diego Dias, médico do esporte, nos esclarece sobre assunto.
“Recentemente, a divulgação de um vídeo na internet trouxe uma polêmica a cerca de que o consumo de suco de frutas poderia gerar cirrose hepática.
Vamos tentar entender um pouco mais disso:
As frutas contêm como parte de seus nutrientes a frutose, um monossacarídeo (carboidrato simples). É certo que o excesso de carboidratos na dieta podem trazer uma elevada quantidade de calorias e isso será armazenado em nosso organismo  através da formação de gordura.
A extrapolação de que suco de frutas pode levar a cirrose hepática por meio de esteatose hepática acaba sendo um desestímulo ao consumo de tais alimentos.
UM TOTAL DESSERVIÇO À SOCIEDADE.
É importante lembrar que uma dieta equilibrada é sempre a melhor escolha. Frutas in natura devem ser consumidas e de preferência em sua forma natural e não como suco devido a maior consumo de calorias. As frutas fazem parte de uma alimentação balanceada e saudável.
Exemplo prático: você pode se saciar comendo uma laranja e, no suco, você já parou pra pensar em quantas laranjas são utilizadas para fazê-lo?”
Fiquem atentos pessoal, extremismos não funcionam em nada nessa vida. Comer frutas é bem mais saudável que beber suco.
A fruta apresenta mais fibras alimentares, seja pela casca ou bagaço, o que garante mais saciedade, boa saúde intestinal e melhor controle glicêmico e de colesterol.
Fica a dica: se você ama de paixão o suco, adicione uma fibra como chia, farinha de linhaça e outras para balancear e promover mais saciedade.
Lembrando que suco é alimento e não é água. Beba muita água ao longo do seu dia e use os sucos à seu favor e de uma maneira inteligente.

JEJUM INTERMITENTE DEVO OU NÃO FAZER?

Devo fazer Jejum intermitente?

Muito se tem falado sobre o tal do jejum intermitente e espero com este texto esclarecer um pouco a duvida de milhares de pessoas sobre este polemico tema.
Antes de tudo e na minha opinião o principal os estudos que avaliaram os efeitos do jejum intermitente e que estão disponíveis na literatura cientifica tem amostra pequena,metodologia frágil e/ou desorganizada e resultados falhos. Então já começou super bem o tal do jejum intermitente, oras não tem boas comprovações cientificas.
Claro não vamos ser radicais ao extremo alguns desses estudos ainda que falhos,demostraram resultados positivos no emagrecimento. Porem em nenhum desses estudos faz uma comparação de uma pessoa fazendo uma dieta “normal” e individualizada com uma pessoa que inseriu o jejum intermitente sendo assim não ha a possibilidade de compararmos qual teve mais resultados. Já a dieta individualizada se respeitada e prescrita por um profissional capacitado por isso existe aos montes comprovações de resultados efetivos e alem de tudo preza por segurança.
Não ha NENHUM estudo que mostre os efeitos do jejum intermitente em longo prazo, ou seja não da se tornar “normal” todo santo dia ficar ate 16 horas sem se alimentar porque tal blogueira começou a fazer a um “tempão”. Os próprios artigos científicos sugerem que sejam feitos estudos mais prolongados para verificar como o organismo se adaptaria a essas pertubações repetidas(pior que usam esse termo mesmo kkk “pertubações”) e quais as consequências disso para a Saúde (ANTONI ET AL,2016; WEGMAN ET AL,2015).
Sobre a restrição alimentar severa, tem um artigo super legal que comprava as respostas adaptativas do organismo, como o aumento do hormônio grelina, aumento do apetite e comportamento compulsório que induz a uma alimentação exagerada (O’CONNOR et al,2016). O que também não é novidade gente pois existem um monte de estudos que comprovam que restringir demais causa estresse no corpo e pode gerar um efeito contrario em seguida.
Resumindo, pode ate “funcionar” a curto prazo, mas não se sabe os efeitos ainda a longo prazo (se há reganho de peso ou prejuízos relacionado com a saúde) e na minha opinião não compensa ficar tantas horas sem se alimentar  pois é MUITO sofrimento. Não sei vocês mas eu ADORO comer. Procure um nutricionista capacitado e proponha ao profissional da sua escolha uma dieta mais realista com suas necessidades e objetivos.
Texto by  Nutricionista Carolina Barros
 

Semente de Girassol: a semente aliada ao emagrecimento.

Semente de Girassol e seus benefícios:

Engana-se quem acha que a semente de Girassol é comida de passarinho.Essa semente de sabor delicado,baixo custo,possui propriedades muito importantes para a saúde e qualidade de vida.Hoje em nosso blog iremos mostrar alguns dos diversos benefícios desta poderosa semente.
A semente de Girassol possui diversos benefícios a saúde como por exemplo.
1) Auxilia no controle do mau colesterol. Devido as ricas propriedades da semente ela evita que o mau colesterol fixe nas paredes das artérias.
2) Ajuda no ganho de massa muscular . É isso mesmo esta pequena semente é rica em proteínas e uma porção de 100g da semente possui mais de 2g de proteína, que são as responsáveis pelo ganho de massa muscular. A semente de girassol também é rica em vitamina E que auxilia na recuperação muscular pós-treino.
3) Auxilia no combate a prisão de ventre. Por ser uma semente rica em fibras a Semente de Girassol é muito indicada no combate ao intestino preso que acaba dando muitas vezes a sensação de inchaço,com a semente de Girassol melhora o funcionamento do intestino e auxilia na redução do inchaço.
4) Previne câncer. Acreditem estudos mostram que o câncer esta muito ligado com a baixa ingestão de selênio e a Semente de Girassol é uma rica fonte de selênio  que se mostra capaz de induzir o reparo do DNA e a síntese de células danificadas.Em apenas 1/4 de xícara de semente de Girassol conseguimos a ingestao de pelo menos 30{0f0c6236818577b233c3dc8be170dde4c77ab0460c366bd7ab2ff956a9e4b432} do valor diário indicada de selênio.
5) Auxilia no controle e perda de peso. A semente de girassol pode ser consumida entre as principais  refeiçoes do dia (almoço e jantar) aumentado assim a sensação de saciedade o que resulta na ingestão de menores porções de comida tanto no almoço quanto no jantar.

O índice glicêmico dos alimentos e o sucesso do seu emagrecimento

 O que é e pra que serve o Índice Glicêmico?

O índice glicêmico (IG) avalia o potencial que cada alimento tem de aumentar a glicose (açúcar) no sangue. Se o IG do alimento for alto, o nível de glicose no sangue é elevado rapidamente e cai na mesma velocidade, promovendo a falsa sensação de saciedade que não dura mais de 2 horas. Além de acarretar grande produção de insulina no organismo com o objetivo de equilibrar os níveis sanguíneos de glicose. O excesso de insulina produzido e não utilizado no organismo será transformado em triglicérides, sendo armazenado na forma de gordura.
Se o alimento tem baixo IG a chance é maior de nos mantermos saciados por mais tempo.
O adequado controle da alimentação com foco no índice glicêmico dos alimentos contribui para o emagrecimento, além de prevenir diabetes e doenças cardiovasculares.
Referências
AMERICAN DIABETES ASSOCIATION. Glycemic index and diabetes. 2014. Disponível em: http://www.diabetes.org/food-and-fitness/food/what-can-i-eat/understanding-carbohydrates/glycemic-index-and-diabetes.html. Acesso em: 12 mai 2016.
BARCLAY, A. et al. Glycemic index, glycemic load, and chronic disease risk – a meta-analysis of observational studies. The American Journal of Clinical Nutrition, v. 87, n. 3, p. 627-37, 2008.
RADULIAN, G.; RUSU, E.; DRAGOMIR, A.; POSEA, M. Metabolic effects of low glycaemic index diets. Nutrition Journal, v. 8, n. 5, p. 1-8, 2009.Salute Produtos Naturais (@salutenaturais) • Fotos e vídeos do Instagramsalute-naturais-loja-em-goiania-produtos-naturais