pão low carb

Receita da Nutri: Pão Low Carb

Receita da Nutri: Pão Low Carb

Hoje nosso blog tem o maior prazer em apresentar as futuras nutricionista Heloísa Portilho e Nicole Biangulo do IG @nutrisemandamento com essa super receita de pão low carb.
O Pão Low Carb é uma excelente opção para aquelas pessoas que não conseguem viver sem o seu pão diário, porém essa versão não contém glúten, lactose e óleo.
Vamos à receita do Pão Low Carb?
Ingrediente:

  • 3 ovos
  • 2 xícaras de farinha de amêndoas
  • 5 colheres de sopa de água
  • 6 amêndoas picadas
  • sal a gosto
  • 2 colheres de café de fermento em pó

Preparo:
Misture todos os ingredientes com ajuda de uma colher mesmo, deixando o fermento e as castanhas por último ( as castanhas misturamos na massa).
Despeje a massa em uma forma adequada (prefira as de silicone, pois não há necessidade de untar) e leve ao forno médio pré-aquecido por 30 min.
Fácil e prático o pão low carb é uma ótima opção para café da manhâ e lanches. Além disso é leve e fica uma delícia.
A dieta Low Carb e suas receitas auxiiam na redução do apetite, aceleram o processo de emagrecimento, baixam o nível de triglicerídeos no sangue, melhora os níveis do HDL, reduz os níveis de gilcose e insulina no sangue dentre outros benefícios.
Todos os ingrediente você encontra aqui em nossa loja. Venha nos fazer uma visita!

Tá no Blog

Dieta Low Carb, vale a pena?

Preciso reduzir os carboidratos para perder peso?

A dieta Low Carb e a ingestão de carboidratos dão o que falar nas redes sociais e entre os profissionais da área de saúde.
Hoje a Nutri Bianca Innocencio do Instituto Santa Rosa (RJ)  irá responder sua pergunta.
“Estudos tem demonstrado que algumas pessoas perdem mais peso (gordura corporal)  quando se limita no VET (calor energético total) os carboidratos em 20 até 40{0f0c6236818577b233c3dc8be170dde4c77ab0460c366bd7ab2ff956a9e4b432}. Principalmente as que apresentam resistência à insulina, hiperinsulinemia (como no caso da Síndrome do Ovário Policístico) ou diabetes tipo 2.
Esta avaliação-  da necessidade ou não de se “segurar” os carboidratos da dieta- deve ser feita por um nutricionista, visto que pode haver queda da energia principalmente no período adaptativo.
Outra questão que se deve avaliar é o objetivo individual, quem busca perder pouco peso e ganhar massa muscular pode não se beneficiar com este tipo de conduta.  Por isso não existe melhor “dieta” e sim a melhor estratégia para um determinado metabolismo.
Ao reduzirmos a ingestão de carboidratos com alta carga glicêmica objetiva-se dentre outras mudanças metabólicas o controle da insulina. Sendo este um hormônio inflamatório, manter seus níveis controlados parece trazer melhor resposta na perda de peso do que dietas de controle apenas das calorias ou estratégias de redução dos lipídios.
A dica que quero deixar para você é procure carboidratos de grande valor nutricional e ricos em fibras: folhosos, verduras, frutas in natura, raízes. E retire os carboidratos que são pobres em nutrientes como pães, massas, açúcares, biscoitos, refrigerantes, farináceos em geral.”
Esta foi a dica da Nutricionista Bianca Innocencio da equipe de nutricionistas do Instituto Santa Rosa! Não se deixe levar pelos modismos das dietas e da internet. Uma alimentação adequada requer orientação de um profissional e deve ser realizada de forma individualizada respeitando restrições e seus hábitos de vida diário.
 
 

JEJUM INTERMITENTE DEVO OU NÃO FAZER?

Devo fazer Jejum intermitente?

Muito se tem falado sobre o tal do jejum intermitente e espero com este texto esclarecer um pouco a duvida de milhares de pessoas sobre este polemico tema.
Antes de tudo e na minha opinião o principal os estudos que avaliaram os efeitos do jejum intermitente e que estão disponíveis na literatura cientifica tem amostra pequena,metodologia frágil e/ou desorganizada e resultados falhos. Então já começou super bem o tal do jejum intermitente, oras não tem boas comprovações cientificas.
Claro não vamos ser radicais ao extremo alguns desses estudos ainda que falhos,demostraram resultados positivos no emagrecimento. Porem em nenhum desses estudos faz uma comparação de uma pessoa fazendo uma dieta “normal” e individualizada com uma pessoa que inseriu o jejum intermitente sendo assim não ha a possibilidade de compararmos qual teve mais resultados. Já a dieta individualizada se respeitada e prescrita por um profissional capacitado por isso existe aos montes comprovações de resultados efetivos e alem de tudo preza por segurança.
Não ha NENHUM estudo que mostre os efeitos do jejum intermitente em longo prazo, ou seja não da se tornar “normal” todo santo dia ficar ate 16 horas sem se alimentar porque tal blogueira começou a fazer a um “tempão”. Os próprios artigos científicos sugerem que sejam feitos estudos mais prolongados para verificar como o organismo se adaptaria a essas pertubações repetidas(pior que usam esse termo mesmo kkk “pertubações”) e quais as consequências disso para a Saúde (ANTONI ET AL,2016; WEGMAN ET AL,2015).
Sobre a restrição alimentar severa, tem um artigo super legal que comprava as respostas adaptativas do organismo, como o aumento do hormônio grelina, aumento do apetite e comportamento compulsório que induz a uma alimentação exagerada (O’CONNOR et al,2016). O que também não é novidade gente pois existem um monte de estudos que comprovam que restringir demais causa estresse no corpo e pode gerar um efeito contrario em seguida.
Resumindo, pode ate “funcionar” a curto prazo, mas não se sabe os efeitos ainda a longo prazo (se há reganho de peso ou prejuízos relacionado com a saúde) e na minha opinião não compensa ficar tantas horas sem se alimentar  pois é MUITO sofrimento. Não sei vocês mas eu ADORO comer. Procure um nutricionista capacitado e proponha ao profissional da sua escolha uma dieta mais realista com suas necessidades e objetivos.
Texto by  Nutricionista Carolina Barros